Delegacia Itinerante em apoio à mulher será implantada pela Polícia Civil, nesta quarta-feira, em Carinhanha

Arquivo Pessoal

De acordo com a Assistente Social e Secretária de Proteção Social da prefeitura de Carinhanha, Julielba Maria dos Santos Chapermann, apoiar a realização do Projeto Delegacia Itinerante na zona rural de Carinhanha é construir de forma coletiva novos caminhos para o enfrentamento e prevenção dos problemas relacionados a violência.

Os números de mulheres e crianças em situação de violência doméstica aumentaram no último ano no meio rural da cidade e se agravou durante a pandemia.  “O projeto vai estimular as denúncias de violação de direitos, orientação das medidas protetivas para as mulheres e articulação com a rede de proteção social da assistência social, educação e saúde”.

Ainda de acordo com Julielba, uma das prioridades do governo da Prefeita Chica do PT é a implantação da Secretaria de Segurança Pública Cidadã que articula todos os órgãos públicos e sociedade civil para prevenir e combater as violências e a criminalidade para promover uma cultura de paz.

Arquivo Pessoal

Em conversa por telefone o delegado, Dr. Zanderlan Fernandes Abreu, explicou que a ideia de criar a “delegacia itinerante” surgiu depois de constatar que mais da metade da população de Carinhanha estão na zona rural. “São regiões mais carentes de políticas públicas, disse ele: “Nós queremos levar o Estado, a Polícia Civil para essa população”.

O projeto será iniciado nesta quarta-feira (22), na comunidade de Barrinha, que segundo o delegado, se trata de uma região bem problemática. “Queremos a população junta com a polícia no combate ao crime. Vamos manter uma relação de confiança com a população para juntos, apurarmos as infrações penais”, frisou o delegado, bem animado com o projeto que ganhou força e apoio da prefeitura de Carinhanha.

“A parceria firmada é muito importante. O município por meio da Secretaria de Proteção Social  vai ceder as escolas, computadores e internet para que as ocorrências e os atendimentos sejam realizados. Os trabalhos serão executados nas agrovilas e comunidades da cidade. O trabalho com as assistentes sociais também será importante para o andamento das abordagens”, destacou o delegado.

Dr. Zanderlan disse ainda que o projeto é também para tentar evitar o que a criminologia, chama de “cifra negra”, que são aqueles crimes que acontecem e que não chegam ao conhecimento das autoridades possam diminuir, e que assim permita que as autoridades competentes exerçam o seu papel.

Dr. Zanderlan Fernandes Abreu – Delegado de Polícia Civil de Carinhanha e Malhada

Ao falar sobre o índice de crimes contra a mulher, o delegado disse que o carro chefe de ocorrências tanto em Carinhanha como em Malhada, onde ele também é delegado, são em sua maioria os crimes de gênero, violência doméstica e familiar contra mulher. Os dados estatísticos apresentados por ele mostram que, só neste ano, já foram expedidas 87 medidas protetivas em Carinhanha e Malhada. “É um número muito grande. Dentre os procedimentos policiais que são registrados na delegacia, mais de 60% são crimes contra a mulher. Em se tratando de dignidade sexual, o índice passaria para mais de 80%, finalizou Dr. Zanderlan.

Dentre os serviços prestados pelos servidores da Delegacia de Carinhanha na zona rural, estão: registro de boletim de ocorrência, requerimento de medida protetiva e requisição de declarações.

Portanto, será a partir das nove horas da manhã, desta quarta-feira, a inauguração da “delegacia itinerante” na Barrinha. Os servidores da Polícia Civil irão atender moradores da Comunidade da Barrinha, Santa Helena, Geral Pituba Santa Luzia e entorno na Escola Municipal São José.

 

Artigo anterior38ª CIPM faz apreensão de arma de fogo, em área central de Bom Jesus da Lapa
Próximo artigoEstudantes do curso de Direito visitam a sede da 38ª CIPM