quinta-feira, maio 23, 2024
InícioNotícias da LapaADAB inspeciona viveiro no Velho Chico com objetivo de assegurar qualidade dos...

ADAB inspeciona viveiro no Velho Chico com objetivo de assegurar qualidade dos citros

Manter as mudas e segurança dos pomares das diversas culturas agrícolas significa muitas horas de acompanhamento presencial, responsabilidade compartilhada com os RT’s, monitoramento de viveiros para checagem dos cuidados antes e durante a distribuição de sementes, porta-enxertos, borbulhas e mudas que formarão os novos pomares. Esta é uma das vertentes de atuação do Programa Fitossanitário dos Citros que rastreia a segurança dos produtos que são produzidos localmente e dos que chegam ao solo baiano, para evitar a infestação por pragas com alto potencial de destruição. Durante três dias, a equipe da ADAB (Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia) esteve em Serra do Ramalho e Bom Jesus da Lapa, território do Velho Chico, em inspeções fitossanitárias.

O cronograma incluiu um dos maiores viveiros telados da região que atua há mais de uma década e se estabeleceu na Bahia atraído pelo ambiente limpo, ou seja, livre das principais pragas da citricultura, o HLB dos Citros e Cancro Cítrico. Oriundos de São Paulo, os investidores do Tamafe perceberam no estado, entre outras vantagens, a possibilidade de expansão da área citrícola e a oferta de material genético de qualidade através da EMBRAPA Mandioca e Fruticultura.

 Uma das características do TAMAFE é estabelecer parcerias, inclusive com a Embrapa Mandioca e Fruticultura, para acelerar os resultados das pesquisas em busca de qualidade.

IMPACTO NA REGIÃO: “Em 2010, a direção do viveiro transformou o ‘não’ da ADAB em oportunidade de negócios, após termos comunicado que não era possível trazer mudas de São Paulo para implantação de 100 ha de Lima Ácida Tahiti no Projeto Formoso, em Bom Jesus da Lapa, em função da segurança dos produtos e eles compreenderam bem o papel da defesa agropecuária baiana”, conta a coordenadora do Programa dos Citros, Suely Brito.

 

 

Para Fernando Herrera, diretor do Tamafe, a forte atuação de vigilância da ADAB tem assegurado bons resultados. “A Rede Sentinela criada pela autarquia monitora, de forma eficaz, a invasão da bactéria do HLB dos Citros através da Captura do Inseto Vetor, o Diaphorina citri e isso fortalece a segurança da cadeia produtiva”, ressalta, acrescentando que o Tamafe vende mudas para todos os estados brasileiros e já tem contratos com Angola, República Dominicana e Uruguai. “A presença deles na região movimenta a agro vila, transforma a vida de muitas famílias através de mais de 100 empregos diretos e indiretos”, enfatiza Suely.

“O trabalho da ADAB não tem o objetivo de multar, punir, e sim, orientar e acompanhar desde o surgimento da semente, passando pelas blitzes das cargas de mudas até a fiscalização das revendas, visando assegurar ao produtor a qualidade dos pomares, para que possam gerar frutos seguros ao consumo”, ressalta Maurício Bacelar, diretor-geral da autarquia.

A ação da ADAB na rastreabilidade das mudas, contou com o apoio da gerente territorial Meire Magalhães e Adriano Souza, do convênio realizado em parceria com a prefeitura de Serra do Ramalho. Na oportunidade, também foi inspecionado o depósito de agrotóxicos através do acompanhamento de Keyla Soares, engenheira agrônoma da agência.

Fonte e fotos: Ascom ADAB – Bahia

Notícias Relacionadas
- Advertisment -

Mais Populares